[equipe I mostra das rosas]

Após terem diferentes experiências de vida, quatro mulheres se encontraram, conversaram e perceberam que questões parecidas as sensibilizavam da mesma forma, e pensaram que outras mulheres, assim como elas, poderiam ter as mesmas demandas e ainda, que outras poderiam nunca ter pensado sobre isso.

A partir daí, resolveram construir um encontro entre diferentes mulheres, onde umas mostrassem suas ações artísticas, outras desfrutassem dessa arte, e todas refletissem sobre os problemas e os prazeres que estão envolvidos com a questão de ser mulher.

Quatro mulheres que se encontraram em um momento da vida e depois de muita luta, muitos debates, muita paixão, muito machismo e muito feminismo tiveram a ideia e necessidade de idealizar uma mostra como essa! Somos Rosas!

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Cristina Roseno de Santana, ativista política e cientista social formada pela FESPSP. Trabalhou como coordenadora de um projeto de redes sócio-políticas no Centro de Direitos Humanos e Educação Popular do Campo Limpo de Outubro de 2008 à Fevereiro de 2011, e neste período  desenvolveu formações sócio-políticas para adolescentes com várias temáticas. Atualmente é professora na rede pública estadual, participa de movimento popular urbano e ajuda a articular a rede de mulheres do movimento cultural da zona sul com outros coletivos da cidade, e desenvolve juntamente com estes grupos ações de resistência, protestos e formações que trabalhem a questão do preconceito contra a mulher em vários âmbitos da vida.

::

Danielle Regina, ativista política, graduanda em Ciências Sociais pela UNIFESP. Pesquisadora em diversas áreas sociais, realizou trabalhos em pesquisas como “Mulheres no espaço público e no espaço privado” desenvolvida pela Fundação Perseu Abramo em parceria com o SESC e Instituto de Pesquisa Juniors da USP. Participante de diversos coletivos: co-fundadora do GEEJA (Grupo de Estudos de Educação de Jovens e Adultos), articulando atividades como o I Encontro de Educação Popular MOVA-Guarulhos, atuação no Fórum Estadual EJA e convidada a participar do Encontro Nacional do MOVA. Co-fundadora do GEPECSO (Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Educação e Classes Sociais). Participou durante anos de conferências sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente. E desde 2007 articulou diversas ações do coletivo MUCCA (Mudança com conhecimento cinema e arte) o qual realizava exibições de filmes na periferia de São Paulo, utilizando o cinema como recurso para educação popular visando a formação política (omucca.wordpress.com).

::

Patricia Alencar é graduada em Ciências Sociais pela PUC-SP e sócia-fundadora da Berinjela Filmes e Produções Culturais. Atualmente tem como principal atividade a realização de vídeos, onde destaca dois trabalhos independentes: direção e montagem do curta documentário GENTE MUDA – de muro em muro, 26”, 2009, produzido pela Berinjela Filmes, selecionado e premiado no 20º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, em 2009; e direção, fotografia e montagem do documentário Entrevias, 40”, 2011, produzido também pela Berinjela Filmes. Participou durante anos de conferências sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, onde, por vezes, também fez parte da organização; Integrou a equipe das Oficinas Kinoforum de Realização Audiovisual; Foi uma das fundadoras do coletivo MUCCA (Mudança com Conhecimento, Cinema e Arte) que tinha como proposta exibir filmes na periferia de São Paulo, utilizando o cinema como recurso para educação popular e formação política; entre outras atividades politicas-culturais.

::

Paula Franco é graduanda do último ano de História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Já estagiou em eventos de arte como a 29ª Bienal de São Paulo em 2010, experiência que propiciou contato direto com público diversificado e conhecimentos relacionados ao cenário atual da arte. No mesmo evento ministrou oficinas que visavam proporcionar exeriências artísticas. Fez parte do GEEJA (Grupo de Estudos de Educação de Jovens e Adultos). Pesquisadora em projetos temáticos em História Oral, classe-social e cenário político feminino. E articula diversos espaços políticos e acadêmicostais como o XXXI Encontro Nacional de Estudantes de História (ENEH) e das duas últimas edições da Semana de História de UNIFESP e do I Encontro de Educação Popular MOVA Guarulhos.

Anúncios

3 respostas para [equipe I mostra das rosas]

  1. Pingback: Em agosto: I Mostra das Rosas “Feminismo em foco” « CAHIS UNIFESP

  2. Mov. MN disse:

    ah, pelo primeiro texto pareciam mais idosas…

  3. Olá! Meu nome é Virgínia e estudo a potencialidade de o movimento sindical se utilizar do cinema como ferramenta para o desenvolvimento da consciência de classe. Vi que tem uma relação com a atuação do Mucca. Gostaria de entrar em contato para troca de experiências. Abraços, Virgínia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s